• 10/08/2018 - CCBB de Brasília traz festival de cinema com exibição de filmes nacionais
    Fechar

    CCBB de Brasília traz festival de cinema com exibição de filmes nacionais

    O público ainda pode conferir o som de bandas e DJs convidados para o evento

    Entre os dias 14 e 19 de agosto (terça a domingo), o CCBB de Brasília recebe pela segunda vez o Festival de Cinema BB DTVM, que chega com uma nova rodada de filmes brasileiros, além de shows e participação de DJs convidados.

    As atividades durante o festival são gratuitas e para as sessões no cinema, o público deverá retirar as senhas distribuídas na bilheteria do CCBB uma hora antes do início de cada sessão.

    Dentro da programação estão filmes como Bingo – O Rei das Manhãs (2017), Paraíso Perdido (2018), Como Nossos Pais (2017), além de shows das bandas Ellefante, O Terno, Clarice Falcão e 5 a Seco.

    Serviço:
    Paraíso Perdido
    18 DE AGOSTO, SÁBADO
    DJs Criolina – 18h
    Filme – Paraíso Perdido (2018)
    Horário – 19h30 (exibição ao ar livre)
    Shows de Cachimbó e Clarice Falcão.

    Programação completa aqui.

  • 03/08/2018 - Confira cinco filmes com avaliação máxima dos críticos da Folha
    Fechar

    Confira cinco filmes com avaliação máxima dos críticos da Folha

    Comédia, drama, terror e documentário estão entre os longas considerados cinco estrelas

    As Boas Maneiras
    Brasil/França, 2017. Direção: Juliana Rojas e Marco Dutra. Com: Isabél Zuaa, Marjorie Estiano e Miguel Lobo. 135 min. 14 anos.

    Uma enfermeira da periferia de São Paulo é contratada por uma mulher rica para ser babá de seu filho, que ainda vai nascer. Solitárias, as duas criam um forte vínculo enquanto a gravidez incita hábitos misteriosos e perigosos na futura mãe.

    Leia mais:

  • 01/08/2018 - Marjorie Estiano é eleita Melhor Atriz de série no Prêmio Fiesp/Sesi
    Fechar

    Marjorie Estiano é eleita Melhor Atriz de série no Prêmio Fiesp/Sesi

    Marjorie Estiano foi escolhida pelo júri como melhor atriz de série do 12º Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema e TV, cujos vencedores foram anunciados nesta terça-feira (31 de julho).

    Além de Marjorie “Entre Irmãs”, o longa onde foi protagonista, também foi premiada na categoria Melhor Direção com Breno Silveira.
    Na votação por relevância artística, ficou para Bingo – O rei das manhãs, como melhor filme de ficção, o Troféu Anselmo (homenagem a Anselmo Duarte, ator, diretor e roteirista de cinema).

    O Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema e TV é uma iniciativa da Fiesp, do Sesi-SP e do Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (Siaesp) para valorizar a produção audiovisual brasileira.

    Nesta 12ª edição homenageou as produções do cinema e TV brasileiras lançadas em 2016, 2017 e até março de 2018. A premiação reconhece os melhores em cada categoria: ficção, documentário, animação, série, curta-metragem, diretor, atriz, ator e Produções para TV.

    A escolha dos vencedores ficou a cargo de um júri composto por membros do Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (Siaesp), do Júri Especial, formado por jornalistas especializados (Guilherme Werneck, Helô D’Angelo e Marcelo Hessel), para escolha do curta-metragem vencedor, e do júri popular, para eleger Melhor Filme e Melhor Série.
    Fonte: Fiesp/SESI

  • 31/07/2018 - Um “Paraíso Perdido” onde todo o mundo se encontra
    Fechar

    Um “Paraíso Perdido” onde todo o mundo se encontra

    O filme de Monique Gardenberg abriu o segundo dia da 1.ª Mostra de Cinema do Brasil, a decorrer em Lisboa, no Cinema São Jorge

    Paraíso Perdido é um bar cheirando a anos oitenta, na cidade de São Paulo. A decoração já nem existe, ficou parada no tempo. Tem cara de bar de alterne, mas não é. José é o patriarca e dono do estabelecimento. Alberga o filho e os netos, mais um amigo. Paraíso Perdido é um bar onde se ouve música brega, ou “rasga coração”, como eles dizem.
    Monique consegue levar com mestria até ao final alguém segredo.

    Esse é, de facto, um filme cheio de camadas e de múltiplas linguagens para que se comuniquem. A expressão através da música, naquele palco do bar, a língua gestual, forma de comunicação entre Odair e a mãe, ex-cantora que ficou surda após uma agressão.

    Monique Gardenberg teve muito olho na escolha do elenco. Erasmo Carlos, Júlio Andrade (um dos mais profícuos atores brasileiros, um camaleão), Jaloo (nova promessa da música indie brasileira), Hermila Guedes, Malu Galli, Seu Jorge, Lee Taylor e Marjorie Estiano (a atriz prova, mais uma vez, que nada lhe é impossível fazer. Encarna Milene, uma reclusa que se torna amante da mãe de Imã na prisão. São poucas as cenas, mas ela dá “um show” de interpretação) foram os escolhidos para dar vida a essas personagens. Poderia ter sido um duelo de titãs, mas o que aconteceu foi uma ligação entre todos que permitiu olharmos para essa família, no final, sem qualquer preconceito. “As pessoas não te odeiam pelo que você é, mas pelo que não conseguem ser”, disse Ângelo para o seu sobrinho Imã.

    Continue lendo aqui.

  • 25/07/2018 - EUA: Filme de terror com Marjorie Estiano consegue 100% de aprovação no Rotten Tomatoes
    Fechar

    EUA: Filme de terror com Marjorie Estiano consegue 100% de aprovação no Rotten Tomatoes

    A semana traz 14 estreias, mas apenas cinco dignas de projeção em tela grande.

    O melhor filme da semana, porém, é um terror. E brasileiro, quem diria. Na verdade, “As Boas Maneiras” é um dos filmes mais premiados da atual safra nacional. O segundo longa realizado em parceria pelos diretores Juliana Rojas e Marco Dutra (de “Trabalhar Cansa”) foi o grande vencedor do Festival do Rio 2017, onde arrematou os troféus de Melhor Filme, Atriz Coadjuvante (Marjorie Estiano) e Fotografia (o português Rui Poças, de “Uma Mulher Fantástica”). Além disso, também venceu o Festival do Uruguai, o Prêmio Especial do Júri no Festival de Locarno, na Suiça, o Prêmio do Público no L’Etrange Festival, na França, e o Prêmio da Crítica no Festival de Sitges, na Espanha, entre muitas outras consagrações internacionais.

    Na trama, uma enfermeira da periferia de São Paulo (Isabél Zuaa, de “Joaquim”) é contratada por uma mulher rica, grávida e misteriosa (Marjorie Estiano, de “Sob Pressão”) para ajudar na casa e, após o nascimento do bebê, ser babá de seu filho. As duas desenvolvem uma forte relação de amizade, mas a gravidez se revela um horror, especialmente nas noites de lua cheia, a ponto de transformar a mulher conforme chega a hora do parto. É tenso, dramático e pronto para virar cult. O detalhe final: graças à projeção internacional, tem 100% de aprovação no Rotten Tomatoes.

    Fonte: PIPOCA MODERNA