• 30/11/2018 - Marjorie Estiano é indicada Melhor Atriz no Prêmio APCA
    Fechar

    Marjorie Estiano é indicada Melhor Atriz no Prêmio APCA

    Como acontece tradicionalmente todos anos, a APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) indica os melhores da TV. Em 2018, os críticos Cristina Padiglione, Edianez Parente, Fábio Maksymczuk, Flavio Ricco, Leão Lobo, Neuber Fischer, Nilson Xavier e Paulo Gustavo Pereira já escolheram os 5 indicados ao prêmio.

    Marjorie Estiano concorre na categoria Melhor Atriz por sua atuação na segunda temporada de Sob Pressão.
    Além de Marjorie, Sob Pressão concorre em outras duas categorias : Melhor Ator com Júlio Andrade e Melhor Dramaturgia.

    A eleição dos vencedores em cada uma das categorias dos melhores da televisão em 2018, será realizada em data ainda a ser definida.

    Leia mais:

  • 27/11/2018 - Canal Brasil estreia filme de terror com Marjorie Estiano
    Fechar

    Canal Brasil estreia filme de terror com Marjorie Estiano

    Juliana Rojas e Marco Dutra retomam a parceria de “Trabalhar Cansa” (2011), elogiado longa-metragem de horror relacionado a dramas sociais, para o lançamento de “As Boas Maneiras”, nesta terça (27) no Canal Brasil.

    O longa narra a relação entre uma grávida da alta sociedade e uma enfermeira proveniente da periferia.

    Parceria entre Brasil e França, a obra recebeu mais de 20 prêmios, dentre eles cinco troféus no Festival do Rio de 2017, incluindo melhor filme e atriz coadjuvante (Marjorie Estiano), além de ter sido laureado em Locarno (Suíça) e Biarritz (França). No elenco, estão ainda Isabél Zuaa, Cida Moreira e Miguel Lobo.

    No longa, Ana (Marjorie Estiano) contrata Clara (Isabél Zuaa), uma solitária enfermeira moradora da periferia de São Paulo, para ser babá de seu filho ainda não nascido. Conforme a gravidez vai avançando, Ana começa a apresentar comportamentos cada vez mais estranhos e sinistros hábitos noturnos que afetam diretamente Clara.

    “As Boas Maneiras” estreia dia 27 de novembro, às 22h no Canal Brasil.

    Leia mais:

  • 18/11/2018 - Com dramas fortes e realistas, Sob Pressão é a melhor produção atual da Globo
    Fechar

    Com dramas fortes e realistas, Sob Pressão é a melhor produção atual da Globo

    “O nosso erro não é como o erro de todo mundo. O nosso erro pode ser a morte de uma pessoa”, filosofa Evandro (Julio Andrade), justificando o estrago que uma falha médica pode causar. Com essa frase, o protagonista de Sob Pressão deixa claro que a segunda temporada da série vai muito além dos problemas de saúde e enfoca, também, os dilemas pessoais dos profissionais que circulam pelo fictício hospital Luis Carlos Macedo.

    A nova temporada aprofunda os dramas dos personagens e mostra a força de narrativas mais curtas, que começam e se encerram sem delongas. Não há espaço para barrigas e histórias desnecessárias. Tudo ali é retratado de maneira seca, rápida e interessante.

    Os dramas dos pacientes misturam-se aos dos médicos, o que dá profundidade às histórias pessoais de cada um deles. Como exemplo, a culpa de Evandro por ter negligenciado o atendimento a uma mulher, que logo depois morreu.
    Ou ainda Carolina (Marjorie Estiano) que, mesmo machucada depois de sofrer um acidente de ônibus, prestou atendimento aos feridos, ignorando os riscos à sua própria vida em meio às ferragens do veículo que estava prestes a explodir.

    Sob Pressão é boa porque transborda o simples entretenimento ao expor a chaga da saúde pública no Brasil através do caos que assola nossos hospitais. É atual ao abrir espaço para escancarar a corrupção sistêmica que ronda as instituições e corrompe a (quase) todos. Daí a importância da entrada de Renata (Fernanda Torres) na segunda temporada da história.

    No elenco, destaque também para Marjorie Estiano, que deixa evidente a sensibilidade de sua personagem, e Julio Andrade. A escolha de um elenco protagonista pouco badalado mostrou-se acertada por priorizar a capacidade cênica e a entrega dos atores aos seus personagens. Quem ganha é o público, brindado com atuações convincentes.

    Leia mais.

  • 16/11/2018 - “Entre Irmãs”, de Breno Silveira estará na “MOSTRA IX: Brazilian Film Series”, na Unibes Cultural, em SP
    Fechar

    “Entre Irmãs”, de Breno Silveira estará na “MOSTRA IX: Brazilian Film Series”, na Unibes Cultural, em SP

    Começa dia 29 a MOSTRA IX: Brazilian Film Series, na Unibes Cultural, em SP

    Em sua 4ª edição na cidade de São Paulo, começa no dia 29 de novembro a MOSTRA IX: Brazilian Film Series, de Consciência Social. Este ano o evento com longas e curtas-metragens brasileiros, sempre com entrada franca, inaugura um novo espaço oficial, a Unibes Cultural, que terá sessões nos dias 29 (Abertura), 30 de novembro e 1º, 7 e 8 de dezembro. Na abertura da MOSTRA haverá a exibição de “Como Nossos País”, de Laís Bodansky. Ao todo, oito longas e 12 curtas-metragens – entre ficção e documentário – serão apresentado ao público.

    Entre os longas-metragens, a MOSTRA IX vai exibir também: “Piripkura” (Doc), de Mariana Oliva, Renata Terra e Bruno Jorge, “Entre Irmãs”, de Breno Silveira, “Aos Teus Olhos”, de Carolina Jabor, “Imagem da Tolerância” (Doc), de Joana Mariani e Paula Trabulsi, “Chega de Fiu Fiu”, (Doc), de Amanda Kamanchek e Fernanda Frazão, “O Menino e o Mundo” (Animação), de Alê Abreu, e “Elis”, de Bruno Prata.

    De acordo com Ariani Friedl, com temática voltada à Consciência Social, a MOSTRA Brazilian Film Series “continua despertando a curiosidade dos americanos, principalmente estudantes, sobre o nosso País. Também os brasileiros que vivem por aqui, não perdem a oportunidade para reconectar-se à nossa cultura e à visão de realidade do Brasil, manifestada sob o olhar dos nossos cineastas”, contou.

    Mesmo com todo o trabalho e responsabilidade na seleção dos filmes e organização do evento, Ariani revelou que o comportamento do público tem servido de incentivo para continuar divulgando o cinema nacional naquele país. Nos EUA, o evento acontece de 2 a 16 de novembro. Além de Chicago, as sessões são apresentadas em outras cidades da região meio-oeste.

    A realização do evento, tanto nos EUA como no Brasil está a cargo da organização sem fins lucrativos Partners of the America.

  • 15/11/2018 - Aos 36 anos, Marjorie Estiano se consagra como uma das melhores atrizes de sua geração
    Fechar

    Aos 36 anos, Marjorie Estiano se consagra como uma das melhores atrizes de sua geração

    No ar na segunda temporada da série ‘Sob Pressão’, na pele da médica Carolina, que apesar da dura realidade do hospital público em que trabalha, segue firme na vocação, ela comenta algumas das mudanças que a personagem sofreu de uma temporada para outra

    Rio – Aos 36 anos, Marjorie Estiano se consagra como uma das melhores atrizes de sua geração. No ar na segunda temporada da série ‘Sob Pressão’, na Globo, na pele da médica Carolina, que apesar da dura realidade do hospital público em que trabalha, segue firme na vocação, ela comenta algumas das mudanças que a personagem sofreu de uma temporada para outra. Principalmente em relação à questão emocional. Carolina se entregou ao amor e casou com Evandro (Julio Andrade).

    A médica também encarou os traumas e o pai (que morreu há dois episódios), depois de ter denunciado o abuso que sofreu.”As experiências vão construindo a gente lentamente. Ninguém muda de uma hora para outra e, mais que isso, acho que para mudar determinados padrões de comportamento tem que se esforçar muito”, reflete.

    “Algumas oportunidades surgiram ao longo da primeira temporada, oferecidas pelo exercício da profissão, pelo relacionamento com uma pessoa que pensa muito diferente dela em alguns aspectos, por ter enfrentado e denunciado o pai que abusou dela durante a infância. Acho que tudo isso foi se estabelecendo como reafirmação e renovação de alguns valores, de fé, de saúde, amor. Uma proposta de mudança de conduta diante de outros… como em relação ao recurso de automutilação. Caminhando para frente, às vezes um passinho para trás, mas sempre na busca”, diz.

    Leia mais