• 27/12/2018 - Marjorie Estiano fala de ‘Sob pressão’ e diz que já enfrentou crises na profissão
    Fechar

    Marjorie Estiano fala de ‘Sob pressão’ e diz que já enfrentou crises na profissão

    Marjorie Estiano encerra o ano de 2018 recebendo críticas laudatórias do público por sua atuação em “Sob pressão”, série da Globo que ganhará uma terceira temporada no ano que vem. A atriz, que interpreta a médica Carolina, conta que é complicado se distanciar da personagem ao fim das gravações:

    – A realidade de ‘Sob pressão’ é a da grande maioria dos brasileiros. Eu vivi essa experiência filmando a série durante todo o ano de 2018 e não aguentaria muito mais do que isso sem intervalo. São sequências bastante pesadas. Acho que agora entendo melhor o distanciamento que alguns médicos desenvolvem em relação aos pacientes. Os profissionais que nós interpretamos são completamente envolvidos com eles. Avaliando o ano, acredito que não fui bem-sucedida nesse desprendimento das cenas. Sonho direto com o hospital, com as emergências.

    A Carolina de “Sob pressão” é o 16º trabalho de Marjorie como atriz na emissora – entre papéis fixos e participações – desde que despontou como a Natasha de “Malhação”, em 2004. A Carolina de “Sob pressão” é o 16º trabalho de Marjorie como atriz na emissora – entre papéis fixos e participações – desde que despontou como a Natasha de “Malhação”, em 2004.

    Ela afirma que o início da carreira foi o momento mais difícil até aqui: – Era quando ainda não me sentia amparada técnica e psicologicamente para exercer a profissão, e as escolhas pareciam ser definitivas. Vivia uma bagunça de desejos e limitações, uma intensidade tresloucada. O prazer pelo ofício era raro, embora eu tivesse clareza de que pertencia àquele universo.

    O começo foi o mais difícil pela inabilidade em lidar comigo mesma. Desde então, as dificuldades só mudaram de nome. Elas continuam existindo, e vou sempre me deparar com algo novo que me desloque, assim espero. Mas hoje tenho a impressão de que estou mais equilibrada. Ser um veículo para algo que acontece dentro de outra pessoa é gratificante.

    Fonte: Patricia Kogut – O Globo

  • 22/12/2018 - ‘Prêmio Gshow 2018′: vote nos seus indicados favoritos
    Fechar

    ‘Prêmio Gshow 2018′: vote nos seus indicados favoritos

    Oito categorias trazem tudo de melhor que rolou no Entretenimento da Globo e que bombou na internet neste ano

    Foi dada a largada para o Prêmio Gshow 2018! Aqui, os fãs do Entretenimento da Globo podem prestigiar os seus artistas, músicas e programas favoritos votando em oito categorias que são a cara da web! São elas: Cena do Ano, Replay do Ano, Fandom do Ano, O Crush do Ano, A Crush do Ano, Migos do Ano, Shipp do Ano e Hino do Ano.

    Marjorie Estiano concorre na categoria Cena do Ano com a sequência do acidente de ônibus, onde o público vivenciou o desespero de Carolina (Marjorie Estiano) e Evandro (Julio Andrade). Após um assalto à mão armada, o ônibus em que a médica e diversos passageiros estavam capotou e despencou de um viaduto.

    Vote até o dia 3/1.

  • 21/12/2018 - Sob Pressão é indicada em 8 categorias no Prêmio The Brazilian Critic 2018
    Fechar

    Sob Pressão é indicada em 8 categorias no Prêmio The Brazilian Critic 2018

    Foram anunciados nesse dia 20 de dezembro os indicados ao I Prêmio The Brazilian Critic. São mais de 25 produções, entre novelas e séries, de várias produtoras, para a rede de transmissão aberta, fechada e streaming. Elas representam o melhor da televisão brasileira nesse ano de 2018.

    Com mais de 120 indicações em 25 categorias, o Prêmio homenageia os melhores da televisão na produção, direção, roteiro, e atuação.

    Dentre os destaques do Prêmio, está a série “Sob Pressão”, com 8 indicações.

    A série concorre nas categorias: Melhor Atriz de Série de Drama com Marjorie Estiano, Melhor Ator de Série de Drama (Júlio Andrade), Melhor Série Drama, Melhor direção, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor ator Coadjuvante de Série (Stepan Nercessian), Melhor Atriz Coadjuvante de Série (Fernanda Torres) e Melhor Montagem.

    Os vencedores serão anunciados no dia 30 de dezembro de 2018.

    Confira a lista completa dos indicados :

  • 20/12/2018 - OS MELHORES FILMES BRASILEIROS DE 2018
    Fechar

    OS MELHORES FILMES BRASILEIROS DE 2018

    AS BOAS MANEIRAS

    Durante muito tempo, o cinema de gênero permaneceu marginalizado, como se fosse algo de menor importância artística. Vamos reformular, pois isso ainda acontece, embora as coisas estejam melhorando bastante.

    Os cineastas Juliana Rojas e Marco Dutra nunca esconderam a predileção por esse tipo de cinema, ao contrário, escancararam influências em seus curtas e longas-metragens anteriores, inserindo pitadas de horror aqui, alimentando o suspense acolá, entre outros procedimentos sintomáticos dos exemplares que nutrem sua cinefilia.

    Pois, As Boas Maneiras, premiado no Festival de Locarno 2017, no Janela Internacional do Recife de 2017, no Festival Internacional de Cinema do Uruguai 2018, no Festival do Rio 2017 e no BAFICI 2018, é uma espécie de passo adiante de ambos no que tange ao cinema de gênero.

    O filme, horror clássico, recheado de referências que vão de congêneres a histórias de princesas, é protagonizado por Clara (Isabél Zuaa), contratada por Ana (Marjorie Estiano) para ajuda-la, sobretudo, por conta da iminência do nascimento do primeiro filho.

    Coisas estranhas começam a acontecer, a sanha da patroa por sangue sobressai nas escapadas noturnas, e o drama ganha tintas terríficas com mutilações animais e, posteriormente, o nascimento de um menino lobisomem.

    Além da técnica apurada, encarregada de criar o licantropo mirim de maneira convincente, os realizadores temperam a narrativa com componentes sociais consideráveis, fazendo de As Boas Maneiras, certamente, um dos melhores filmes brasileiros lançados comercialmente em 2018.

    Leia mais

  • 18/12/2018 - Melhor série de 2017, “Sob Pressão” manteve o posto com louvor em 2018
    Fechar

    Melhor série de 2017, “Sob Pressão” manteve o posto com louvor em 2018

    Maior surpresa da Globo ano passado, “Sob Pressão” arrebatou telespectadores e crítica com a rotina dos médicos Evandro (Júlio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano) em um hospital público. A série foi uma adaptação muito bem-sucedida da emissora, que pela primeira vez não dividiu o filme homônimo — baseado no livro de Márcio Maranhão (“Sob Pressão – A Rotina de Guerra de um Médico Brasileiro”) — em quatro ou cinco partes, como costuma fazer quando transforma um longa em seriado.

    Foram 11 episódios irretocáveis. Houve uma preocupação em seguir desenvolvendo a relação dos protagonistas —- que se casaram em uma cerimônia que não durou nem dois minutos porque logo foram chamados para um atendimento —-, emocionar com novos casos médicos importantes e expor um novo drama do sistema precário de saúde: a corrupção. Fernanda Torres e Humberto Carrão entraram para o elenco e seus personagens foram o retrato da podridão do país.

    Claro, em meio a tantas cenas fortes, Marjorie e Júlio brilharam ainda mais e mostraram novamente como essa série é bem protagonizada. Não dá para imaginar a história sem eles.

    Vale aplaudir também o trabalho impressionante na sequência da queda do ônibus do viaduto, após o disparo de um assaltante no motorista. Os efeitos especiais e a direção precisa fizeram toda a diferença. O mesmo vale para a cena do resgate de um paciente com obesidade mórbida de um apartamento por meio de um guindaste. Ficou visível que os investimentos na série aumentaram em virtude do sucesso. Sorte do público.

    E os dramas paralelos também se mostraram emocionantes, sempre concluídos com uma sensibilidade ímpar. Os avisos ao final de cada episódio seguiram como ótimos alertas, mesclando ficção e realidade com inteligência.
    “Sob Pressão” segue com uma qualidade inquestionável e pena que já tenha chegado ao fim. As 11 semanas passaram muito rápido.

    Fonte: De Olho nos Detalhes