• 09/06/2018 - Marjorie Estiano convida para o filme “As Boas Maneiras”
    Fechar

    Marjorie Estiano convida para o filme “As Boas Maneiras”

    O longa-metragem é uma fábula de terror. Uma mulher grávida contrata uma babá para cuidar do filho que vai nascer. Dessa ação simples, uma história surpreendente acontece.

    Veja o vídeo aqui.

  • 08/06/2018 - O Longa “Paraíso Perdido” fica no Top 10 na semana de estreia
    Fechar

    O Longa “Paraíso Perdido” fica no Top 10 na semana de estreia

    Após um fim de semana de queda vertiginosa na arrecadação, as bilheterias do cinema brasileiro se recuperaram com o fim da greve de caminhoneiros. Segundo relatório do site “Filme B”(de 30/05 e 04/06) houve um aumento de 16,2% contabilizando apenas os dez filmes que mais arrecadaram.

    O relatório incluiu ainda quatro filmes estreantes: a animação “Gnomeu e Julieta – O mistério do jardim” ficou com a quarta posição, a comédia brasileira “Não se aceitam devoluções” ficou com a quinta colocação, enquanto o gospel “Eu só posso imaginar” obteve o sexto lugar. Em nono, apareceu o musical “Paraíso perdido”, que marca o retorno da cineasta Monique Gardenberg.

    Fonte: Filme B

  • 03/06/2018 - PARAÍSO PERDIDO – ENTREVISTA EXCLUSIVA COM MARJORIE ESTIANO
    Fechar

    PARAÍSO PERDIDO – ENTREVISTA EXCLUSIVA COM MARJORIE ESTIANO

    Marjorie Estiano faz um papel pequeno, porém importantíssimo, em Paraíso Perdido (2018). Sua encarcerada, Milene, é o par romântico da personagem de Hermila Guedes, mas nem por isso deixa de flertar com o policial vivido por Lee Taylor, exemplificando com suas atitudes a liberdade de amar, condição nuclear no filme de Monique Gardenberg.

    Depois de um dia extenuante de gravações da série Sob Pressão, veiculada na Rede Globo – sobre isso, disse, sorrindo: “por isso vim de mochila, direto do set” –, Marjorie nos atendeu, com a simpatia que lhe é peculiar, para falar acerca da sua colaboração com a cineasta, que já vem de longa data e outros meios. Sobre a carreira, é difícil apontar uma atriz de sua geração tão bem-sucedida quanto ela. Marjorie tem enfileirado papeis marcantes na TV e no cinema. Teatro e música também fazem parte de sua rotina, então assinalada fortemente pela arte. Confira o nosso Papo de Cinema exclusivo com Marjorie Estiano, um dos destaques do elenco de Paraíso Perdido.

    Para você, era importante possibilitar algum debate, vide a questão LGBT envolvida?
    – Acredito que o filme não levante bandeiras. Mas, a própria abordagem dele é uma espécie de manifesto. Essa persona aparece com a naturalidade necessária. Sua orientação sexual não precisa ser “A” questão. Geralmente, há a tendência de transformar a sexualidade naquilo que rege a história. Mas essa é apenas uma das camadas da Milene, um dos canais pelos quais ela se expressa. Desde o início, percebi que esse universo de fábula era sensível, livre e criativo. Também me chamou atenção a inexistência do julgamento e a prevalência do amor em suas manifestações mais diversas. Realmente, é uma matéria prima que oferece inúmeras possibilidades. É algo atemporal. Não existe uma época definida para se falar de amor.

    Continue a ler a entrevista aqui.

  • 27/05/2018 - Todo Clichê do Amor: O filme Chega ao NET NOW
    Fechar

    Todo Clichê do Amor: O filme Chega ao NET NOW

    Depois de estrear no circuito Rio-São Paulo, o novo longa de Rafael Primot, Todo Clichê do Amor, chega ao NET NOW no dia 08 de junho para ser assistido quando, onde e quantas vezes quiser.

    Protagonizado por Marjorie Estiano, Débora Falabella e Maria Luísa Mendonça, o filme fala sobre afeto e relações amorosas através de histórias que se entrelaçam. O elenco ainda conta com Eucir de Souza, Gilda Nomacce, Amanda Mirásci, Clarissa Kiste, entre outros.

    O filme poderá ser assistido por clientes da Net e Claro TV no NOW pelo site nowonline.com.br ou aplicativo para tablets e smartphones. Os NETs, com pacote HD, também acessam a plataforma pelo canal 1 do controle remoto.

  • 21/05/2018 - PARAÍSO PERDIDO | CRÍTICA
    Fechar

    PARAÍSO PERDIDO | CRÍTICA

    Uma grata surpresa foi encontrada em ‘Paraíso Perdido’. O novo filme da cineasta Monique Gardenberg, que foi gravado em São Paulo, nos apresenta a jornada de uma excêntrica família. Trazendo a tona uma história repleta de desencontros, mas mostrando que ainda assim é possível ser feliz, o filme promete desencadear reflexões pessoais em cada um que o assista.

    Com produção musical assinada por Zeca Baleiro, a trilha vai além, e busca inclusive apoiar a narrativa desse drama, ilustrando todos os acontecimentos que abordam sentimentos de traição, vingança e paixão. Presenciamos em cena uma bela homenagem ao gênero musical que até hoje embala nossas vidas. Destaque principal do projeto, a trilha nos traz canções de Marcio Greick, Reginaldo Rossi, Paulo Sergio, Valdick Soriano e ainda Raul Seixas, Roberto & do próprio Erasmo. ‘Paraíso Perdido’ ecoa como uma poesia, do início ao seu fim, talvez sua montagem nos confunda por alguns instantes, mas nada tira o mérito por nos fazer recordar momentos de nosso passado, isso sem dúvida é um feito muito importante para um longa.

    O filme é digerido como uma história que poderíamos ter vivido, com amores que poderíamos ter tido, com dificuldades que certamente já passamos, e no final só quisemos que tudo acabasse bem. É sem dúvida uma mensagem bem passada e boa para ser absorvida.

    Matéria na integra.