• 15/12/2018 - As 10 maiores personalidades do cinema brasileiro neste ano
    Fechar

    As 10 maiores personalidades do cinema brasileiro neste ano

    A nata da nata da sétima arte nacional neste ano.

    As ondas de representatividade que inundaram Hollywood nos últimos anos finalmente parecem ter chegado com força total à sétima arte brasileira.
    O cinema nacional foi agraciado em 2018 com a marca da diversidade.

    A tendência reflete-se diretamente na lista preparada pelos críticos do AdoroCinema para eleger as 10 maiores personalidades das telonas brasileiras — e, ocasionalmente, internacionais — dos últimos 12 meses.

    Com uma predominância feminina (dos 12 profissionais selecionados, 8 são mulheres), a compilação deste ano também aprofunda uma curva evolutiva que já podia ser identificada nas quatro edições anteriores do presente selecionado do AdoroCinema: se em 2017 não haviam negros em posição de destaque no nosso Top 10, agora as coisas mudaram de figura, com três mulheres negras na lista.

    Pulverizada entre filmes de diversos gêneros, as 10 grandes personalidades do cinema brasileiro vem de produções independentes e/ou marginais ao sistema.

    Marjorie Estiano:
    Enquanto Marjorie Estiano também poderia ser uma forte concorrente ao prêmio de maior número de aparições consistentes e relevantes nas telonas, a atriz debuta em nossa lista por outro motivo: a coragem de deixar os papéis convencionais para trás e se arriscar nas produções indie do cinema nacional. Assim, por mais que tenha feito parte de produções como Paraíso Perdido e Todo Clichê do Amor, Estiano repaginou sua carreira em As Boas Maneiras, o premiado e aclamado terror/conto de fadas da dupla Juliana Rojas e Marco Dutra.

    Entregando uma das melhores performances de 2018 ao lado de Isabél Zuaa, a atriz demonstra que está mais do que disposta a explorar outras possibilidades e outros lados de seu talento, muito além do que o público cativo das novelas está acostumado a ver (RF).

    Leia mais

  • 14/12/2018 - Sob Pressão desbanca novelas em premiação da Globo
    Fechar

    Sob Pressão desbanca novelas em premiação da Globo

    A série Sob Pressão, que teve duas temporadas, conquistou o Prêmio Estúdios Globo 2018 como melhor Produto de Dramaturgia. Protagonizada por Marjorie Estiano e Júlio Andrade, a produção conseguiu enorme repercussão junto ao público e prestígio entre os críticos.

    A história desbancou as novelas Segundo Sol, Orgulho e Paixão, Deus Salve o Rei, além das séries Ilha de Ferro, Carcereiros, Assédio, Mister Brau, Pais de Primeira, Se Eu Fechar os Olhos Agora, entre outras produções que foram feitas na emissora carioca.

    A premiação tem como objetivo prestigiar os funcionários da Casa. Os convidados para fazerem parte do grupo de especialistas foram Boninho, Carlos Schroder, Eduardo Figueira, Glória Perez, Marcius Melhem, Monica Albuquerque, Ricardo Waddington e Silvio de Abreu.

  • 13/12/2018 - Paraíso Perdido, de Monique Gardenberg, vence APCA de Cinema 2018
    Fechar

    Paraíso Perdido, de Monique Gardenberg, vence APCA de Cinema 2018

    O prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) anunciou nesta quarta (12) os vencedores de 2018 em diversas categorias.

    Entre os premiados está o longa Paraíso Perdido, de Monique Gardenberg, que levou o Prêmio Interpretação Coletiva, pelo elenco que reuniu grandes nomes como Erasmo Carlos, Marjorie Estiano, Julio Andrade, Hermila Guedes, Seu Jorge entre outros.

    Paraíso Perdido narra a saga da excêntrica família de José (Erasmo Carlos). Marcada por perdas e desencontros, eles buscam ser felizes encerrados no Paraíso Perdido, uma boate parada no tempo, onde cantam música popular romântica.

    O evento realizado em São Paulo, reuniu críticos de artes de diversas áreas para escolher os melhores de 2018 em dez categorias, como Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura.

  • 12/12/2018 - Melhor série de 2017, “Sob Pressão” manteve o posto com louvor em 2018
    Fechar

    Melhor série de 2017, “Sob Pressão” manteve o posto com louvor em 2018

    Maior surpresa da Globo ano passado, “Sob Pressão” arrebatou telespectadores e crítica com a rotina dos médicos Evandro (Júlio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano) em um hospital público. A série foi uma adaptação muito bem-sucedida da emissora, que pela primeira vez não dividiu o filme homônimo — baseado no livro de Márcio Maranhão (“Sob Pressão – A Rotina de Guerra de um Médico Brasileiro”) — em quatro ou cinco partes, como costuma fazer quando transforma um longa em seriado.

    Foram 11 episódios irretocáveis. Houve uma preocupação em seguir desenvolvendo a relação dos protagonistas —- que se casaram em uma cerimônia que não durou nem dois minutos porque logo foram chamados para um atendimento —-, emocionar com novos casos médicos importantes e expor um novo drama do sistema precário de saúde: a corrupção. Fernanda Torres e Humberto Carrão entraram para o elenco e seus personagens foram o retrato da podridão do país.
    Claro, em meio a tantas cenas fortes, Marjorie e Júlio brilharam ainda mais e mostraram novamente como essa série é bem protagonizada. Não dá para imaginar a história sem eles.

    Vale aplaudir também o trabalho impressionante na sequência da queda do ônibus do viaduto, após o disparo de um assaltante no motorista. Os efeitos especiais e a direção precisa fizeram toda a diferença. O mesmo vale para a cena do resgate de um paciente com obesidade mórbida de um apartamento por meio de um guindaste. Ficou visível que os investimentos na série aumentaram em virtude do sucesso. Sorte do público. E os dramas paralelos também se mostraram emocionantes, sempre concluídos com uma sensibilidade ímpar. Os avisos ao final de cada episódio seguiram como ótimos alertas, mesclando ficção e realidade com inteligência.

    “Sob Pressão” segue com uma qualidade inquestionável e pena que já tenha chegado ao fim. As 11 semanas passaram muito rápido.

    Leia mais:

  • - Penúltimo episódio de Sob Pressão destaca campanha de prevenção ao suicídio
    Fechar

    Penúltimo episódio de Sob Pressão destaca campanha de prevenção ao suicídio

    Não faltou emoção no penúltimo capítulo da série Sob Pressão. O episódio foi surpreendente e muito elogiado pelo público.

    Angustiada após uma confusão no hospital, Carolina (Marjorie Estiano) acabou reunindo objetos cortantes ao chegar em casa. A médica decidirá se livrar de uma vez dos itens, para evitar suas crises de automutilação, conforme aconteceram na primeira temporada da produção.
    Tal cena destacou a campanha de prevenção ao suicídio, que está cada vez mais sendo divulgada pela mídia.

    Além da cena de Carolina, o episódio de Sob Pressão destacou outra sequência em que uma paciente tenta tirar a própria vida.
    Internada no hospital, uma moça corta os tubos de medicação, porém é acudida rapidamente pelo filho e pelos médicos.

    Após o susto, a personagem interpretada pela atriz Zezé Barbosa explica que tomou tal decisão para não atrapalhar a vida do filho.
    Sendo assim, a Globo decidiu aproveitar o tema abordado para exibir uma vinheta ao fim da produção.

    Nos últimos créditos de Sob Pressão, chamou atenção a mensagem “Você não está sozinho”.
    Além disso, um número de telefone de apoio ao combate ao suicídio foi exibido.

    Nas redes sociais, o público exaltou a campanha, bem como mostrar toda a sua ansiedade para assistir o último episódio de Sob Pressão.

    Leia mais: