• 14/08/2019 - Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019, confira os indicados indicados.
    Fechar

    Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019, confira os indicados indicados.

    Nesta quarta-feira, 14, a Academia do Cinema Brasileiro estende seu tapete vermelho para o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2019. O presidente Hélio Peregrino tem como meta antecipar cada vez mais a cerimônia, na expectativa de que no ano que vem ou no próximo ela seja realizada no primeiro semestre. É a 18.ª edição do evento e, pela primeira vez, ele ocorre em São Paulo, no Teatro Municipal, que vai abrigar também a premiação de 2020. Os convidados começam a chegar às 19h e, às 20h30, ninguém mais será admitido no teatro, por conta da transmissão ao vivo pelo Canal Brasil, que deve começar às 20h45.

    Marjorie Estiano concorre na categoria Melhor Atriz por As Boas Maneiras e Melhor Atriz Coadjuvante por Paraíso Perdido.

    Além de Marjorie, Paraíso Perdido concorre na Categoria Melhor Trilha Sonora com Zeca Baleiro e As Boas Maneiras em 4 Categorias (Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Roteiro Original, Melhor Efeito Visual e Melhor Som).

    A homenageada será a atriz Zezé Motta, eternizada na tela como a Xica da Silva no longa de Cacá Diegues, nos anos 1970, e que desde então nunca deixou de brilhar no audiovisual brasileiros, no cinema e na televisão.

    Lista completa dos indicados:

  • 03/08/2019 - Revista Quem – “Marjorie Estiano: ‘Sob Pressão’ é um exercício de cidadania”
    Fechar

    Revista Quem – “Marjorie Estiano: ‘Sob Pressão’ é um exercício de cidadania”

    Atriz fala sobre fim de série, relembra momento mais difícil na atração e revela planos após última temporada “A saúde é um reflexo da educação, da cultura, da segurança, da economia… Ali dentro do hospital você tem um panorama da cidade”, pondera Marjorie. “A série orienta didaticamente e subjetivamente. Todo episódio tem uma cartela de orientação, de política pública. Transplante, importância de se consultar com um médico, de se vacinar, violência doméstica, todo tipo de orientação baseada nos casos de maior incidência nos hospitais”, explica.

    Aos longo dos anos, o público foi conhecendo os traumas de Carolina, vítima de abuso que sofria de automutilação. O tema sensível, como tantos outros abordados em Sob Pressão, foi motivo de “Acho que foi a parte mais desgastante na vivência com a personagem. O processo de pesquisa foi devastador. Me deparar com a facilidade e a quantidade de material foi assombroso”, lembra Marjorie.

    Em meio a tantas histórias que a série contou, qual foi a mais marcante para você?

    Sem dúvida, a mais sofrida, o mais doloroso foi me aproximar do abuso sexual que Carolina sofreu na infância e adolescência. Acho que foi a parte mais desgastante na vivência com a personagem. O processo de pesquisa foi devastador. Me deparar com a facilidade e a quantidade de material foi assombroso. O abuso sexual é uma violência muito comum e o número é muito maior entre crianças, na maioria dentro de casa, com familiares, vizinhos ou pessoas próximas, e é de efeito prolongado. Mesmo após a interrupção da violência, lidar com essa ferida é bastante complexo, porque se reconstruir exige bastante da vítima também.

    Leia mais clicando aqui

  • 02/08/2019 - Crítica: Sob pressão termina com mensagem de recomeço
    Fechar

    Crítica: Sob pressão termina com mensagem de recomeço

    Último episódio da temporada da série Sob pressão emocionou e trouxe um desfecho otimista. E, sim, o gancho para o quarto ano está lá!

    Recomeço. Essa é foi a palavra de ordem do último episódio da série Sob pressão, exibido na quinta-feira (25/7) com a “ameaça” de terminar a saga, mas também com o alento de que o programa volte em 2021, como acenou a Globo.

    Durante toda a temporada Marjorie Estiano brilhou como Carolina. No episódio final não foi diferente. Até em cenas simples, como a que a médica se despede dos colegas que liderou na emergência para abraçar o sonho de integrar uma organização na Amazônia, Marjorie mostra a que veio. É nos detalhes que vemos quem realmente é bom ator.

    Mas esse recomeço de Carolina sofre um atraso. Quando está a caminho do aeroporto, ela recebe uma ligação de Diana (Ana Flávia Cavalcanti) dizendo que está levando Evandro (Julio Andrade) para o hospital com overdose. No meio da conversa Diana bate o carro e o acidente deixa Evandro entre a vida e a morte.

    Ou seja, o ritmo do capítulo de despedida desta temporada de Sob pressão tem velocidade máxima e alto nível de tensão. É difícil relaxar e isso é ponto positivo para o roteiro de Jorge Furtado. “Recomeçar é muito difícil”, diz Vera a Diana em determinado momento. Elas sabem que sim: Diana volta para o interior e Vera vai começar de novo a ser mãe do filho que ela reencontrou com a ajuda do saudoso seu João (Perfeito Fortuna). Ela vai ter que reaprender a maternidade e que ter bastante paciência e amor.

    Paciência e amor também terão que ser a base de Carolina e Evandro caso eles queiram aparecer juntos numa aguardada quarta temporada. Carolina está na Amazônia quando Evandro, já de alta da clínica, a encontra e se declara para ela. A médica se faz de durona e não devolve os carinhos, mas deixa no ar que muito amor poderá vir por aí. Amor por Evandro, pelos pacientes, pela medicina.

    Leia mais:

  • 01/08/2019 - Marjorie Estiano fala sobre o fim da terceira temporada de ‘Sob Pressão’
    Fechar

    Marjorie Estiano fala sobre o fim da terceira temporada de ‘Sob Pressão’

    Sob Pressão chega ao fim com sucesso de audiência e trama bem elaborada

    Na noite da última quinta-feira, dia 25, Carolina (Marjorie Estiano) se despediu do São Tomé, mas um acidente de carro envolvendo Evandro (Julio Andrade) mudou seus planos mais uma vez. A trama fez parte do último episódio da terceira temporada de Sob Pressão, que encerrou mais um ciclo, mas não sua trajetória. Elogiada pelo público e pela crítica, a série médica terá uma nova temporada, ainda em desenvolvimento, sem previsão de produção ou data de estreia.
    “Fiquei realmente muito feliz com a continuidade do projeto. Acho que ainda temos uma infinidade de histórias para compartilhar, muito a oferecer”, afirma Marjorie.

    A série ganhou notoriedade logo no primeiro ano de exibição, quando apresentou dramas humanos e problemas sociais dentro de um ambiente caótico como o de um hospital público do Rio de Janeiro. “O fato de executar o próprio trabalho nas condições mais desfavoráveis é uma violência enorme”, avalia a atriz sobre a rotina de trabalho dos médicos da série. De lá para cá, ao longo das três temporadas, os episódios levantaram temas cujo debate é de extrema importância para a sociedade. De pacientes a médicos, a população se viu representada na pele de inúmeros atores como Marjorie, Julio, Drica Moraes, Pablo Sanábio, Bruno Garcia, Josie Antelo, Julia Shimura, Marcelo Batista, Jana Guinond, entre outros.

    Na trajetória da série, cada história que entrava na emergência se intercalou com situações da vida dos médicos de uma equipe dedicada e comprometida. “A relação com o Evandro tem alguns pontos de vulnerabilidade, mas essa realidade que eles vivem é um rolo compressor que passa por cima de qualquer estratégia de administração”, conclui Marjorie.

    Clique aqui para ler a matéria completa.

  • 31/07/2019 - Entrevista com Marjorie Estiano para a revista “Caras”
    Fechar

    Entrevista com Marjorie Estiano para a revista “Caras”

    Marjorie Estiano: O resultado é sempre mérito da equipe

    Carolina passou por vários momentos dramáticos ao longo da série, como de autoflagelo. Mas você acredita que esta temporada é a mais dramática para a personagem?

    Não poderia afirmar isso… Nas três temporadas, a personagem se deparou com conflitos de ordem muito profunda e complexa. As três temporadas revelam enfrentamentos e todos sempre somando em um repertório de experiências.

    Fale do desafio de gravar os planos-sequência desta temporada.

    Estávamos nervosos, excitados. Havia muita informação para apreender em muito pouco tempo. Ao mesmo tempo, foi muito especial porque ficamos em um estado de maior conexão com o todo. Fiquei especialmente nervosa porque eu estava doente naquele dia e esse episódio era muito vigoroso, despendia muita energia física e emocional. Não vi nada até ir ao ar. Assisti junto com todo mundo e fiquei emocionada com o resultado.

    Como foi receber a onda de elogios por sua atuação nessas cenas dos planos-sequência?

    Ficamos muito orgulhos. Falo em nome da equipe, o resultado é sempre um mérito da equipe, mas em um plano-sequência isso ficou ainda mais exacerbado. É a excelência do conjunto, de fato. Andrucha, Fernando Young, Lula Cerri, Felipe Lima, Jorge Saldanha… Câmera, foco, luz, som, elenco, elenco de apoio, contrarregra, coordenadores, assistentes, maquiagem, efeito… Todos, todos.

    Matéria completa clique aqui: